Leia as últimas notícias sobre a Contax
> Janeiro > Julho
> Fevereiro > Agosto
> Março > Setembro
> Abril > Outubro
> Maio > Novembro
> Junho > Dezembro

Julho

Contax: Contact Center mais moderno da AL é inaugurado em SP
Panorama Setorial da Gazeta Mercantil - 17/07/2002

Contax inaugura contact center em São Paulo
Abemd - 16/07/2002

Contax, da Telemar, chega a SP com investimento de R$ 25 milhões
Valor Online - 16/07/2002

Contax chega a Brasília em uma semana para atender contrato dos Correios
Valor Online - 16/07/2002

Contax afirma estar disposta a estudar aquisições no setor
Valor Online - 16/07/2002

Contax chega a SP tendo Unibanco como maior cliente
Infocast - 16/07/2002

Contax oficializa operação do site na capital paulista
Callcenter.inf.br - 16/07/2002

Contax inaugura contact center em São Paulo
ComputerWorld - 16/07/2002

Telemar lança empresa de "call center" em São Paulo
Globo On Line - 16/07/2002

Contax inicia operações em São Paulo
Telecom Web - 16/07/2002

Contax inaugura unidade em São Paulo
Telecom on line - 16/07/2002

Empresa de call center da Telemar chega a São Paulo
World Telecom - 16/07/2002

Telemar traz contact center a São Paulo
Info Online - 16/07/2002

Contax prevê crescimento de 23 pct este ano com estréia em SP
Portal Exame - 16/07/2002

Contax inaugura site em SP
TeleTime - 16/07/2002

Contax: próximo mercado da cia será Brasília, na próxima semana
Infocast - 16/07/2002

Contax: cias/Telemar devem contribuir c/ até 60% da receita em 2002
Infocast - 16/07/2002

Contax (Telemar) chega a SP tendo Unibanco como maior cliente
Infocast - 16/07/2002

Telemar inaugura call center em São Paulo
Estadão - 16/07/2002

Telemar lança empresa de "call center" em São Paulo
Globo On Line - 16/07/2002

Contax prevê crescimento de 23% este ano com estréia em SP
Reuters - 16/07/2002

Contax: Contact Center mais moderno da AL é inaugurado em SP
Panorama Setorial da Gazeta Mercantil - 17/07/2002

A CONTAX, empresa de call center controlada pela holding Telemar, inaugurou ontem em São Paulo a central de operações mais moderna da América Latina. A empresa prevê investimentos da ordem de R$ 50 milhões em 2002, dos q uais R$ 25 milhões estão sendo aplicados em São Paulo. Com essa estratégia, quer alcançar a marca de 30 clientes em todo Brasil - atualmente são 23 -, com 7.400 posições de atendimento (em 2001 possuía 6 mil) e aumentar em 2 mil o número de postos de tra balho, para manter 14 mil funcionários.

O novo site marca a entrada da empresa no mercado paulista, que acumula 57% dos negócios do segmento de contact center no País. Além disso, explica o presidente da empresa, James Meancy, "São Paulo é um mercado de fundamental importância para a empresa, uma vez que possui participação de 44% no segmento financeiro nacional, maior usuário de contact center no Brasil". A empresa não divulga a previsão de faturamento para 2002, mas em 2001 a receita foi de R$ 146 milhões.

Além de São Paulo, a CONTAX vai expandir as operações para Brasília, onde pretende captar clientes do governo, e Minas Gerais. A idéia é ampliar a atuação especialmente em nichos pouco explorados, como cobrança, retenção e Internet Call Center e também em telemarketing.

(Luciana Collet - Panorama Setorial da Panorama Setorial da Gazeta Mercantil)

Subir

Contax inaugura contact center em São Paulo
Abemd - 16/07/2002

O site, com capacidade inicial para mil PAs, marca a entrada da companhia no mercado paulista, que é responsável por 57% do segmento em todo o País. A estratégia de expansão da Contax tem como objetivo triplicar o número de clientes. Além de São Paulo, a empresa vai expandir as operações para Brasília e Minas Gerais

A Contax, empresa que atua no setor de contact center, inaugura hoje em São Paulo uma central de operações. A abertura do site, com capacidade inicial para mil posições de atendimento (PAs), marca a entrada da companhia no mercado paulista, que é responsável por 57% do segmento em todo o País. A expectativa da empresa para 2002 é investir mais de R$ 50 milhões em equipamentos, tecnologia de ponta e treinamento, sendo que cerca de R$ 25 milhões serão destinados ao mercado de São Paulo. O site, de sete mil metros quadrados, situado no Conjunto Nacional, na Avenida Paulista, inicia as operações atendendo ao conglomerado Unibanco. A carteira da Contax em São Paulo conta ainda com clientes como: iG, Comissão de Serviços Públicos de Energia (CSPE), Valor Econômico e Conectel.

A estratégia de expansão da Contax tem como objetivo triplicar o número de clientes. Além de São Paulo, a empresa vai expandir as operações para Brasília e Minas Gerais, ampliando a atuação em nichos pouco explorados como cobrança, retenção e internet call center e também em telemarketing. O segmento financeiro, que representa 44% do setor de contact center no Brasil, é um dos principais focos da companhia, assim como o setor de telecomunicações, transporte, indústria e varejo.

Subir

Contax, da Telemar, chega a SP com investimento de R$ 25 milhões
Valor Online - 16/07/2002

A Contax, empresa do grupo Telemar que presta serviços de call center, desembarca em São Paulo com a abertura de um escritório com 7 mil metros quadrados, na capital paulista, com capacidade para 1,3 mil posições de atendimento. A filial vai receber metade, ou R$ 25 milhões, dos investimentos de R$ 50 milhões que a companhia fará este ano em todo o país. A Contax chega a São Paulo com cinco clientes fechados: Valor Econômico, Unibanco, Comissão de Serviços Públicos de Energia (CSPE), iG e Conectel. Seu foco no estado é, principalmente, o segmento financeiro, que responde por 44% do mercado de atendimento ao cliente no Brasil. Com um ano de atuação, hoje a Contax tem presença no Rio de Janeiro, Pernambuco, Bahia e Ceará, onde atende 18 companhias, entre as quais Light, Banco 1.net, Brasil Cap, Correios e a própria Telemar. Este ano, a companhia pretende triplicar o número de clientes com a expansão para, além de São Paulo, Brasília e Minas Gerais.

Subir

Contax chega a Brasília em uma semana para atender contrato dos Correios
Valor Online - 16/07/2002

A Contax, empresa de terceirização de centrais de atendimento da Tele Norte Leste, estenderá sua presença para Brasília em uma semana para começar a atender o contrato de R$ 50 milhões fechado com a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT). Ela ganhou a licitação pública aberta pela ECT, cujo resultado foi conhecido há cerca de duas semanas. Como explicou há pouco James Meaney, presidente da Contax,a licitação foi vencida por três empresas do grupo: a Telemar, que vai fornecer a transmissão de voz e dados, a Tnext, que fará a hospedagem dos sites, e a Contax, que terceirizará o atendimento. Até agora, segundo ele, já foram treinadas 400 pessoas para a operação, cujo atendimento ficará dividido entre Brasília, Minas Gerais e São Paulo.

A Contax disputa outra licitação pública, dessa vez com a Cemig, em Minas Gerais, num contrato avaliado em R$ 30 milhões. Nessa disputa, ela participa com a Telemar, que fornecerá os serviços de voz e dados. Hoje, a Contax tem 12 mil empregados entre Rio, Minas Gerais, Pernambuco, Bahia e Ceará, mas sua meta é fechar o ano de 2002 com 14 mil, que lhe darão 7,3 mil posições de atendimento. A empresa lançou hoje seu escritório paulista, onde tem capacidade para 1,3 mil posições de atendimento.

Subir

Contax afirma estar disposta a estudar aquisições no setor
Valor Online - 16/07/2002

A prestadora de serviços de atendimento Contax, do grupo Telemar, que tem pouco mais de um ano de atuação no setor, afirma estar disposta a analisar a possibilidade fazer aquisições para crescer. Criada em dezembro de 2000, ela diz ter atingido a lucratividade nos três meses seguintes. "Temos um custo operacional mínimo", afirmou há pouco James Meaney, presidente da Contax. No ano passado, a companhia faturou R$ 146 milhões, mas o executivo não fez previsões para o desempenho de 2002. Meaney lembrou que, quando começou a atuar na terceirização, a Contax chegou a avaliar companhias para aquisição, mas, na época, "elas estavam muito valorizadas, o que levou a empresa à decisão estratégica de montar estrutura própria". Hoje, no entanto, ele disse que "o mercado é outro" e, se houver alguma oportunidade, será avaliada.

Do segmento total de atendimento ao cliente, apenas 21% estão hoje terceirizados, de acordo com dados do International Data Corporation (IDC). Essa fatia gerou, em 2001, uma receita de R$ 1,3 bilhão. Para este ano, a previsão do instituto é de que o setor movimente R$ 1,6 bilhão, montante que deverá subir para R$ 2,9 bilhões em 2005. O crescimento anual médio projetado é de 24%. "Estamos num segmento em franca expansão", afirmou Meaney. Segundo ele, existem hoje no país mais de 130 empresas de terceirização de call centers, mas as 10 maiores concentram 75% da receita do setor. "Com certeza, haverá uma consolidação", afirmou.

A Contax não tem, no entanto, metas de atacar clientes da concorrência. "Isso gera uma disputa de preços que só rouba valor do mercado e o que queremos é, justamente, agregar valor ao segmento", justificou. A líder no setor de terceirização de atendimento é a Atento, do grupo Telefônica, que tem cerca de 13 mil posições e 27 mil empregados.

A Contax conta com 6 mil posições e 12 mil empregados, além de 18 clientes. A meta da empresa é triplicar o atual número de clientes até o final do ano.

Subir

Contax chega a SP tendo Unibanco como maior cliente
Infocast - 16/07/2002

A Contax, empresa de call center pertencente à holding Telemar, inaugura oficialmente hoje sua central de operações em São Paulo tendo como principal cliente o Unibanco, responsável por 80% da receita em território paulista. O banco torna-se o maior cliente da Contax em São Paulo dois anos depois da instituição vender sua unidade de telemarketing - a antiga Quatro/A - para a Atento, empresa do grupo Telefônica.

Além do Unibanco, a carteira da Contax em São Paulo inclui Conectel, Comissão de Serviços Públicos, Valor Econômico e iG, provedor que também conta com participação acionária da Telemar. A unidade paulista tem hoje 860 posições de atendimento, com previsão de atingir 1,3 mil em dezembro.

O presidente da Contax, James Meaney, explica que até o final do ano as empresas do conglomerado Telemar devem responder por algo entre 50% e 60% da receita. Além da própria operadora, a Contax presta serviços para a Oi, empresa de telefonia móvel do grupo, além da BrasilCap e BrasilVeículos, companhias que integram a estrutura acionária da holding Telemar.

Com um total de 18 clientes em todo o Brasil, a Contax faturou no ano passado R$ 146 milhões. Meaney não faz previsões para este ano, mas assegura que a meta é chegar a dezembro com 30 clientes.

Vice-liderança

A empresa está presente em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Fortaleza, Salvador e Recife, tendo encerrado o ano passado com 6 mil posições de atendimento. "Devemos encerrar 2002 com 7.390 posições", projeta o executivo, que se orgulha de ter alcançado a vice-liderança do mercado, atrás da Atento, em menos de dois anos de operação. "Não vamos buscar a liderança. Queremos ter o diferencial da qualidade", diz Meaney. Com 240 clientes no Brasil, a Atento tem 13.200 posições de atendimento, segundo informações do site da companhia na internet.

O próximo mercado a contar com uma unidade da Contax será Brasília, onde a empresa chega na semana que vem tendo como principal cliente os Correios. "Vamos buscar outros clientes na área do governo", explica o presidente. Segundo ele, a partir de agora, a abertura de novas unidades estará condicionada à aquisição prévia do cliente. A empresa não descarta a possibilidade de adquirir outras empresas e Meaney aposta que o processo de concentração entre as empresa de call center deve se intensificar este ano. "São mais de 130 empresas em todo o País, mas apenas 10 concentram 75% do mercado", justificou o executivo.

Citando dados da consultoria IDC, ele projeta que o setor deva crescer 17% este ano, movimentando R$ 1,6 bilhão. Das 190,8 mil posições de atendimento previstas para dezembro, apenas 40 mil são terceirizadas para empresas especializadas. As outras 150,8 mil posições são operadas pelas próprias empresas.

Subir

Contax oficializa operação do site na capital paulista
Callcenter.inf.br - 16/07/2002

A subsidiária da Telemar anuncia a inauguração oficial de seu site em São Paulo, com 1.300 posições de atendimento e cinco clientes. A entrada em São Paulo é justificada pelo presidente, James Meaney, como estratégica, uma vez que a região concentra 57% dos negócios em call center

A Contax, subsidiária da Telemar que começou a operar como contact center no final de 2000, acaba de anunciar a inauguração oficial de seu site em São Paulo, com 1.300 posições de atendimento e cinco clientes - CSPE (Comissão de Serviço Público de Energia), jornal Valor Econômico, Unibanco, IG e Conectel. O presidente James Meaney falou que a empresa faturou ano passado R$ 146 milhões e investiu R$ 39 milhões, dos quais R$ 10 milhões em treinamento, e planeja para este ano investir R$ 60 milhões.

"Estamos crescendo com o mercado", justificou o presidente da empresa ao ser questionado sobre a origem dos clientes. "Não pegamos nada da concorrência. São operações novas, como toda nossa base", ponderou. Para Meaney, o mercado tem apresentado crescimento constante de terceirização, sem troca de clientes entre as empresas. Ele refletiu que, quando a Telemar pensou em expandir seus negócios entrando na área de callcenter, pensou-se em adquirir uma operação já instalada, mas a opção acabou sendo descartada. "Hoje porém estamos abertos ao mercado", disse.

A entrada em São Paulo, com um site no Conjunto Nacional, em plena avenida Paulista, é justifica por Meaney como estratégica uma vez que a região concentra 57% dos negócios. Mas o foco da empresa para este ano começou a ser consolidado com a inauguração do site de Brasília, resultado da conquista da conta dos Correios. Apostando em tecnologia de ponta e na agilidade para moldar a operação às necessidades dos prospects (ou clientes), a Contax está desenvolvendo produtos para áreas pouco exploradas, de acordo com Meaney, como de cobrança e retenção de clientes. Os outros focos são os segmentos financeiros, que segundo ele - baseado em estatísticas do IDC -, representa 44% do mercado, e explorar as empresas com sinergia em parcerias com a Telemar, a exemplo da própria conta do Correios.

A projeção da empresa, que iniciou as operações com 415 posições de atendimento em dezembro de 2000 e fechou 2001 com 6000 PAs é fechar este ano com 7.300 PAs. Para isso, ele planeja triplicar a base de clientes - hoje são 18. E reduzir cada vez mais a participação da holding - hoje a Telemar é responsável por algo entre 50% e 60% dos negócios da Contax.

Ele recorre às estatísticas do IDC para justificar que o mercado cresce à média de 24% ao ano, dando boa margem de crescimento para a atividade e se tornando em um grande atrativo empresarial. "Ainda não entramos na fase de disputar cliente alheio, mas precisamos nos preparar", ponderou.

Subir

Contax inaugura contact center em São Paulo
ComputerWorld - 16/07/2002

A Contax, empresa de contact center da Telemar, inaugura em São Paulo uma central de operações com capacidade inicial para mil posições de atendimento (PAs). A expectativa da empresa é investir, em 2002, mais de R$ 50 milhões em equipamentos, tecnologia e treinamento, sendo que cerca de R$ 25 milhões serão destinados ao mercado paulista.

A empresa tem como estratégia obter 30 clientes no País, até o final do ano - hoje são 23 no total, sendo cinco em São Paulo. Além da capital paulista, a empresa pretende instalar pontos de atendimento em Brasília, explorando a atuação em outros nichos como cobrança, retenção e Internet Call Center e telemarketing. A Contax já está presente em Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Fortaleza e Rio de Janeiro.

"Do crescimento estimado para 2002, 70% virá de São Paulo", prevê James Meaney, presidente da empresa. O segmento financeiro, que representa 44% do setor de contact center no Brasil, segundo dados divulgados pela Contax, é um dos principais focos da companhia, assim como o setor de telecomunicações, transporte, indústria e varejo.

O parque da empresa em São Paulo possui sete mil metros quadrados e situa-se no Conjunto Nacional, na Avenida Paulista. As operações iniciais suportam o Unibanco. Entre os clientes da Contax estão também iG, Comissão de Serviços Públicos de Energia (CSPE) e Conectel.

A estrutura do novo site é formada por plataforma de dados e segurança da Cisco, plataforma de voz da Avaya e armazenamento de dados da EMC. A política de segurança foi desenvolvida pela Módulo Security.

O faturamento local da Contax, em 2001, foi de R$ 146 milhões. Isso representa, segundo James Meaney, mais de 50% de toda a receita do mercado brasileiro.

O mercado de contact center deve crescer 24% ao ano, até 2005, segundo dados divulgados pela Contax. A capacidade atual instalada em São Paulo é de 1700 PAs. A meta é chagar a 2600 até o final do ano.

Subir

Telemar lança empresa de "call center" em São Paulo
Globo On Line - 16/07/2002

A Contax, empresa do grupo Telemar que presta serviços de "call center", desembarca em São Paulo com a abertura de um escritório com sete mil metros quadrados, na capital paulista, com capacidade para 1,3 mil posições de atendimento. A filial vai receber metade, ou R$ 25 milhões, dos investimentos de R$ 50 milhões que a companhia fará este ano em todo o país. A Contax chega a São Paulo com cinco clientes fechados: Valor Econômico, Unibanco, Comissão de Serviços Públicos de Energia (CSPE), iG e Conectel. Seu foco no estado é, principalmente, o segmento financeiro, que responde por 44% do mercado de atendimento ao cliente no Brasil.

Com um ano de atuação, hoje a Contax tem presença no Rio de Janeiro, Pernambuco, Bahia e Ceará, onde atende 18 companhias, entre as quais Light, Banco 1.net, Brasil Cap, Correios e a própria Telemar. Este ano, a companhia pretende triplicar o número de clientes com a expansão para, além de São Paulo, Brasília e Minas Gerais. Valor Online

Subir

Contax inicia operações em São Paulo
Telecom Web - 16/07/2002

Empresa de contact center do grupo Telemar chega ao mercado paulista, oferecendo diferenciais como segurança e soluções customizadas para o mercado financeiro

Ediane Tiago

Com a pretensão de ser líder em qualidade de serviços e não em números de posições de atendimento (PAS), a Contax, empresa de contact center do grupo Telemar, inaugura operações em São Paulo e marca assim mais um espaço na competição pelo mercado de terceirização de call centers. "Esse Estado é responsável por 57% do setor, segundo dados do IDC. Por isso, a nova unidade é fundamental em nossa estratégia de crescimento", comemora James Meaney, presidente da Contax.

Ainda de acordo com o executivo, o contact center localizado na cidade de São Paulo é um dos mais modernos da América Latina e tem capacidade para abrigar 1,3 mil PAs e 2,6 mil funcionários nos seus 7 mil metros quadrados de área. A operação já teve início com 860 posições ativas e gerou a contratação de 1,7 mil operadores. "Nosso foco de atuação será o segmento financeiro, que demanda atualmente 44% dos serviços das companhias de contact center em solo nacional. Por isso, estamos atuando em nichos poucos explorados como cobrança, retenção e internet call center. Cerca de 80% de nossas PAs realizam operações de cobrança", destaca Meaney.

A entrada na capital paulista já consumiu R$ 15 milhões, dos R$ 25 milhões previstos até o final do ano. Esse investimento faz parte do R$ 50 milhões que a Contax destinou para o mercado brasileiro, sem contar os R$ 10 milhões voltados para a área de treinamento e seleção. "Nosso maior custo é com pessoal. Temos de oferecer qualidade", detalha o executivo.

E, se depender de agilidade e agressividade, a Contax promete dar muito trabalho à concorrência. A companhia construiu no ano passado seis sites para operar nas capitais dos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Ceará, Bahia e Pernambuco. "Na próxima semana vamos lançar a unidade de Brasília", adianta o presidente. Com receita alcançada de R$ 146 milhões em 2001, a projeção no País para este ano é alcançar o número de 30 clientes na carteira (que hoje conta com 18), chegar ao total de 7,3 mil PAs em operação, aumentar o quadro de funcionários para 14 mil e atender mais de 80 milhões de ligações por mês.

Sem declarar a meta para faturamento em 2002, Meaney reforça que a intenção é abocanhar uma boa fatia do segmento de terceirização de contact centers, estimado pelo IDC, em R$ 1,6 bilhões só neste ano. "O mercado de centrais terceirizadas deve saltar para R$ 3 bilhões em 2005, um crescimento projetado de 17% ao ano. Em nosso favor, ainda temos o baixo volume de outsourcing, uma vez que apenas 21% das PAs estão nas mãos de empresas especializadas", revela o executivo, lembrando que das 190 mil posições de atendimento no Brasil, apenas 40 mil são terceirizadas. "Com esse potencial de mercado, não precisamos nos preocupar em tomar clientes da concorrência, porque temos possibilidade de crescer acompanhando a demanda de mercado", avisa.

O recado vai direto para a sua principal concorrente e líder de mercado, a Atento do grupo Telefônica - cujo número de PAs está no patamar dos 13 mil -, com a qual deve dividir a maior fatia desse bolo. "Nossa meta não é alcançar a concorrente em número de atendentes. Queremos ser o líder em qualidade. Além disso, o potencial do setor abre espaço para outros players", provoca Meaney.

Para mostrar que a intenção é ganhar território, a Contax iniciou operações em São Paulo com a conquista de cinco clientes, entre eles, o conglomerado Unibanco. "Também ganhamos espaço com a conquista dos serviços dos Correios. Já ganhamos a licitação e o site de Brasília já começa com 300 PAs em operação", comemora o executivo, que também cita a participação da Contax na licitação pelo atendimento da CEMIG.

Subir

Contax inaugura unidade em São Paulo
Telecom on line - 16/07/2002

Após um ano de atuação no mercado de contact center, a Contax, empresa que integra a holding Telemar, inaugurou hoje, 16, uma unidade em São Paulo. James Meaney, presidente da companhia, explicou que, dos 12 mil funcionários mantidos em todo país, a unidade paulista conta hoje com 1,7 mil, dos quais cerca de 860 atuam no atendimento direto.

A expectativa é de que, até o final deste ano, a Contax some 2,6 mil funcionários em São Paulo, dos quais 1,3 mil serão ligados ao atendimento de clientes. A empresa, segundo Meaney, investirá, ao longo de 2002, aproximadamente R$ 60 milhões em infra-estrutura e treinamento. Deste montante, cerca de R$ 25 milhões serão destinados ao mercado paulista. "São Paulo corresponde hoje a 57% do segmento no país. Daí nossa intenção em nos consolidarmos no Estado", disse o presidente da empresa, lembrando que a unidade paulista já conta com cinco clientes, entre os quais o iG e o Unibanco. "Um dos nossos principais focos em São Paulo será o mercado financeiro, que deverá deter 80% de nossas posições de atendimento", avaliou. Sem citar percentuais de crescimento, Meaney acredita que, em 2002, a companhia terá faturamento superior aos R$ 146 milhões alcançados em 2001. "Posso adiantar que esperamos, por exemplo, passar dos 18 clientes que mantínhamos em todo país ao final do ano passado para 30 clientes ao final deste ano", avaliou. Esse otimismo em relação às perspectivas se deve, segundo ele, ao fato de o mercado de call center apresentar crescimento na ordem dos 17% anuais. "Dentro deste mercado, os call centers terceirizados têm crescido cerca de 20%, e devem movimentar, este ano, algo em torno do R$ 1,6 bilhão.

É um setor em franco ritmo de expansão", afirmou. Além dessa nova unidade, a empresa deverá inaugurar, entre esta e a próxima semana, um site em Brasília, onde deverão ser atendidos clientes ligados ao setor governamental, como os Correios, por exemplo, com quem a Contax já tem contrato fechado no valor de R$ 50 milhões. Atualmente, já estão em funcionamento filiais no Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Fortaleza, Salvador e Recife.

Subir

Empresa de call center da Telemar chega a São Paulo
World Telecom - 16/07/2002

A empresa de contact center Contax, controlada pela Telemar, inaugurou hoje, 16, em São Paulo, uma central de operações com 7 mil metros quadrados e capacidade inicial para mil posições de atendimento. Com o empreendimento, a empresa ingressa no mercado paulista com a meta de conquistar o título de mais moderno contact center da América Latina, e projeta triplicar o número de clientes. O Estado de São Paulo, que segundo a empresa responde por 57% do segmento em todo o País, será o destino de R$ 25 milhões dos R$ 50 milhões que a empresa planeja investir este ano.

Situado na Avenida Paulista, região nobre da capital do Estado, o novo site da Contax conta com plataforma de dados e segurança da Cisco, plataforma de voz da Avaya, storage da EMC e política de segurança da Módulo Security. A empresa inicia operações em São Paulo com uma carteira de clientes que inclui Unibanco, iG, Comissão de Serviços Públicos de Energia (CSPE), jornal Valor Econômico e Conectel.

A Contax informa que vai expandir as operações para Brasília e Minas Gerais, ampliando a atuação em nichos pouco explorados como cobrança, retenção, internet call center e telemarketing. Com um ano de operação no Brasil, a empresa atua no Rio de Janeiro, Minas Gerais, Pernambuco, Bahia e Ceará, atendendo carteira com mais de 20 clientes, entre os quais Light, Brasil Cap, Brasil Veículos, Correios, Viação 1001, Banco1.net, além da Telemar

Subir

Telemar traz contact center a São Paulo
Info Online - 16/07/2002

A Contax, subsidiária da holding Telemar no segmento de call center, projeta um crescimento de 23 por cento este ano, medido em posições de atendimento. Para tanto, a empresa passou a atuar em São Paulo, que representa 57 por cento do mercado no país, e deve estrear nas próximas semanas em Brasília.

O presidente da Contax, James Meaney, apresentou nesta terça-feira as novas instalações na capital paulista, uma área de 5 mil metros quadrados com 860 posições de atendimento para 5 clientes, incluindo Unibanco e o provedor de Internet iG. A expectativa é chegar a 1.300 posições até o final deste ano em São Paulo.

A Contax pretende chegar ao final de 2002 com 7.400 posições de atendimento em todo o país, ou 23 por cento mais que as 6.000 do ano passado. A Atento, empresa do grupo Telefônica, é líder do mercado local, com 12,5 mil posições de atendimento.

A Contax deve investir 60 milhões de reais este ano, sendo 10 milhões de reais em treinamento de pessoal. O mercado paulista vai atrair a metade dos investimentos em equipamentos e tecnologia. Em Brasília, a Contax atenderá aos Correios e a outros clientes governamentais.

Criada em 2000, a subsidiária da Telemar é lucrativa desde o primeiro trimestre de 2001. Segundo Meaney, ``o custo operacional da empresa foi mínimo''. Ao final de 2001, de acordo com resultado consolidado da holding, a Contax lucrou 6,175 milhões de reais.

Para este ano, Meaney não quis fazer projeções. Ele referiu-se apenas a uma estimativa de que o mercado brasileiro de ``call centers'', que movimenta atualmente 1,6 bilhão de reais, deve quase dobrar entre 2002 e 2005. No ano passado, a receita da Contax foi de 146 milhões de reais.

Parte substancial do desempenho da Contax vem dos serviços prestados à Telemar, que representaram entre 70 e 80 por cento da receita no ano passado. Para este ano, a estimativa é que essa dependência caia para entre 50 e 60 por cento. A Contax tem hoje 18 clientes.

Para a holding Telemar, que controla a operadora de telefonia fixa de mesmo nome, a presença da Contax em São Paulo pode ser um trampolim para conquistar clientes corporativos também no serviço de voz. A Telemar ainda não divulgou quando pretende entrar na telefonia local fora dos 16 Estados de sua área de concessão.

Além disso, a Contax é um gerador de tráfego de dados para a rede da Pégasus Telecom, empresa em que a holding Telemar detém 24,4 por cento. De acordo com o diretor de Tecnologia da Contax, Nelson Ricciardi, 90 por cento do volume de dados da Contax em São Paulo trafega pela rede da Pégasus e o restante pela AT&T Latin America. A Telemar contratou recentemente dois bancos para avaliar a compra da Pégasus.

Por Renata de Freitas

Subir

Contax prevê crescimento de 23 pct este ano com estréia em SP
Portal Exame - 16/07/2002

A Contax, subsidiária da holding Telemar no segmento de "call center", projeta um crescimento de 23 por cento este ano, medido em posições de atendimento. Para tanto, a empresa passou a atuar em São Paulo, que representa 57 por cento do mercado no país, e deve estrear nas próximas semanas em Brasília.

O presidente da Contax, James Meaney, apresentou nesta terça-feira as novas instalações na capital paulista, uma área de 5 mil metros quadrados com 860 posições de atendimento para 5 clientes, incluindo Unibanco e o provedor de Internet iG. A expectativa é chegar a 1.300 posições até o final deste ano em São Paulo.

A Contax pretende chegar ao final de 2002 com 7.400 posições de atendimento em todo o país, ou 23 por cento mais que as 6.000 do ano passado. A Atento, empresa do grupo Telefônica, é líder do mercado local, com 12,5 mil posições de atendimento.

A Contax deve investir 60 milhões de reais este ano, sendo 10 milhões de reais em treinamento de pessoal. O mercado paulista vai atrair a metade dos investimentos em equipamentos e tecnologia. Em Brasília, a Contax atenderá aos Correios e a outros clientes governamentais.

Criada em 2000, a subsidiária da Telemar é lucrativa desde o primeiro trimestre de 2001. Segundo Meaney, "o custo operacional da empresa foi mínimo". Ao final de 2001, de acordo com resultado consolidado da holding, a Contax lucrou 6,175 milhões de reais.

Para este ano, Meaney não quis fazer projeções. Ele referiu-se apenas a uma estimativa de que o mercado brasileiro de "call centers", que movimenta atualmente 1,6 bilhão de reais, deve quase dobrar entre 2002 e 2005. No ano passado, a receita da Contax foi de 146 milhões de reais.

Parte substancial do desempenho da Contax vem dos serviços prestados à Telemar, que representaram entre 70 e 80 por cento da receita no ano passado. Para este ano, a estimativa é que essa dependência caia para entre 50 e 60 por cento. A Contax tem hoje 18 clientes.

Para a holding Telemar, que controla a operadora de telefonia fixa de mesmo nome, a presença da Contax em São Paulo pode ser um trampolim para conquistar clientes corporativos também no serviço de voz. A Telemar ainda não divulgou quando pretende entrar na telefonia local fora dos 16 Estados de sua área de concessão.

Além disso, a Contax é um gerador de tráfego de dados para a rede da Pégasus Telecom, empresa em que a holding Telemar detém 24,4 por cento. De acordo com o diretor de Tecnologia da Contax, Nelson Ricciardi, 90 por cento do volume de dados da Contax em São Paulo trafega pela rede da Pégasus e o restante pela AT&T Latin America. A Telemar contratou recentemente dois bancos para avaliar a compra da Pégasus.

Por Renata de Freitas

Subir

Contax inaugura site em SP
TeleTime - 16/07/2002

A Contax, empresa de terceirização de contact center da Telemar holding, inaugurou nesta terça, 16, seu primeiro site em São Paulo, mais precisamente na Avenida Paulista, o centro financeiro da capital. O local não foi escolhido por acaso. De acordo com o presidente da Contax, James Meaney, São Paulo responde por 57% do mercado brasileiro de contact center e a estratégia da empresa para a nova unidade está focalizada em empresas do setor financeiro, segmento hoje responsável por 44% do mercado nacional. Cinco empresas já contrataram os serviços da Contax: o iG, a Comissão de Serviços Públicos de Energia (CSPE), o jornal Valor Econômico, a Conectel e o conglomerado Unibanco, o maior de todos os clientes, responsável por 80% do negócio da Contax em São Paulo. Com um investimento de R$ 15 milhões para implantação do site, equipamentos e treinamento dos mais de 1,7 mil funcionários, a Contax deve investir mais R$ 10 milhões na unidade paulista até o fim de 2002 para fechar o ano com cerca de 2,6 mil empregados e aumentar de 860 para 1,3 mil o número de posições de atendimento (PAs), estima o executivo.

Brasília

Até a próxima semana, um novo site da Contax será inaugurado. Trata-se da unidade de Brasília, montada para atender o segmento governamental e que conta com um importante cliente estratégico: os Correios. No fim de maio a Contax assinou um contrato no valor de R$ 50 milhões para serviços de telegrama fonado e Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC). O presidente da Contax afirma que do mercado total de 190,8 mil PAs no Brasil, 21% são terceirizados, e equivalem a R$ 1,6 bilhão. Em 2005, esse mercado terceirizado pode chegar a movimentar R$ 2,9 bilhões, estima. O Brasil possui hoje mais de 130 empresas de contact center, mas cerca de 75% do mercado está concentrado nas mãos das 10 maiores, comenta Meaney. Atualmente a Contax tem sites em São Paulo, Belo Horizonte, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro e Salvador.

Subir

Contax: próximo mercado da cia será Brasília, na próxima semana
Infocast - 16/07/2002

São Paulo, 16 - O próximo mercado a contar com uma unidade da Contax será Brasília, onde a empresa de call center do grupo Telemar chega na semana que vem, tendo como principal cliente os Correios. "Vamos buscar outros clientes na área do governo", explica o presidente da companhia, James Meaney. Segundo ele, a partir de agora a abertura de novas unidades estará condicionada à aquisição prévia do cliente. A companhia não descarta a possibilidade de adquirir outras empresas e Meaney aposta que o processo de concentração no ramo de call center deve se intensificar este ano. "São mais de 130 empresas em todo o País, mas apenas 10 concentram 75% do mercado", justificou. Citando dados da consultoria IDC, ele projeta que o setor deva crescer 17% este ano, movimentando R$ 1,6 bilhão. Das 190,8 mil posições de atendimento previstas para dezembro, apenas 40 mil são terceirizadas para empresas especializadas. As outras 150,8 mil posições são operadas pelas próprias empresas. Marineide Marques

Subir

Contax: cias/Telemar devem contribuir c/ até 60% da receita em 2002
Infocast - 16/07/2002

São Paulo, 16 - Segundo o presidente da Contax, James Meaney, até o final do ano as empresas do conglomerado Telemar devem responder por algo entre 50% e 60% da receita. Além da própria operadora, a Contax presta serviços para a Oi, empresa de telefonia móvel do grupo, assim como a BrasilCap e BrasilVeículos, companhias que integram a estrutura acionária da holding Telemar. Com um total de 18 clientes em todo o Brasil, a Contax faturou no ano passado R$ 146 milhões. Meaney não faz previsões para este ano, mas assegura que a meta é chegar a dezembro com 30 clientes. A empresa está presente em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Fortaleza, Salvador e Recife, tendo encerrado o ano passado com 6 mil posições de atendimento. "Devemos terminar 2002 com 7.390 posições", projeta o executivo, que se orgulha de ter alcançado a vice-liderança do mercado, atrás da Atento, em menos de dois anos de operação. "Não vamos buscar a liderança. Queremos ter o diferencial da qualidade", diz. Com 240 clientes no Brasil, a Atento tem 13.200 posições de atendimento, segundo informações do site da companhia na Internet. Marineide Marques

Subir

Contax (Telemar) chega a SP tendo Unibanco como maior cliente
Infocast - 16/07/2002

São Paulo, 16 - A Contax, empresa de call center pertencente à holding Telemar, inaugura oficialmente hoje sua central de operações em São Paulo tendo como principal cliente o Unibanco, responsável por 80% da receita em território paulista. O banco torna-se o maior cliente da Contax em São Paulo dois anos depois da instituição vender sua unidade de telemarketing - a antiga Quatro/A - para a Atento, empresa do grupo Telefônica. Além do Unibanco, a carteira da Contax em São Paulo inclui Conectel, Comissão de Serviços Públicos, Valor Econômico e iG, provedor que também conta com participação acionária da Telemar. A unidade paulista tem hoje 860 posições de atendimento, com previsão de atingir 1,3 mil em dezembro.

Subir

Telemar inaugura call center em São Paulo
Estadão - 16/07/2002

O presidente da Contax, James Meaney, afirma que até o final do ano as empresas do conglomerado Telemar devem responder por algo entre 50% e 60% da receita

São Paulo - A Contax, empresa de call center pertencente à holding Telemar, inaugura oficialmente hoje sua central de operações em São Paulo tendo como principal cliente o Unibanco, responsável por 80% da receita em território paulista. O banco torna-se o maior cliente da Contax em São Paulo dois anos depois da instituição vender a unidade de telemarketing - a antiga Quatro/A - para a Atento, empresa do grupo Telefônica.

Além do Unibanco, a carteira da Contax em São Paulo inclui Conectel, Comissão de Serviços Públicos, Valor Econômico e iG, provedor que também conta com participação acionária da Telemar. A unidade paulista tem hoje 860 posições de atendimento, com previsão de atingir 1,3 mil em dezembro.

O presidente da Contax, James Meaney, afirma que até o final do ano as empresas do conglomerado Telemar devem responder por algo entre 50% e 60% da receita. Além da própria operadora, a Contax presta serviços para a Oi, empresa de telefonia móvel do grupo, além da BrasilCap e BrasilVeículos, companhias que integram a estrutura acionária da holding Telemar.

Com um total de 18 clientes em todo o Brasil, a Contax faturou no ano passado R$ 146 milhões. Meaney não faz previsões para este ano, mas assegura que a meta é chegar a dezembro com 30 clientes.

A empresa está presente em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Fortaleza, Salvador e Recife, tendo encerrado o ano passado com 6 mil posições de atendimento. "Devemos encerrar 2002 com 7.390 posições", disse o executivo, lembrando ter alcançado a vice-liderança do mercado, atrás da Atento, em menos de dois anos de operação. "Não vamos buscar a liderança. Queremos ter o diferencial da qualidade", diz Meaney.

Com 240 clientes no Brasil, a Atento tem 13.200 posições de atendimento, segundo informações do site da companhia na internet.

O próximo mercado a contar com uma unidade da Contax será Brasília, onde a empresa chega na semana que vem tendo como principal cliente os Correios. "Vamos buscar outros clientes na área do governo", disse o presidente. Segundo ele, a partir de agora, a abertura de novas unidades estará condicionada à aquisição prévia do cliente.

A empresa não descarta a possibilidade de adquirir outras empresas e Meaney aposta que o processo de concentração entre as empresa de call center deve se intensificar este ano. "São mais de 130 empresas em todo o País, mas apenas 10 concentram 75% do mercado", disse.

Citando dados da consultoria IDC, ele projeta que o setor deva crescer 17% este ano, movimentando R$ 1,6 bilhão. Das 190,8 mil posições de atendimento previstas para dezembro, apenas 40 mil são terceirizadas para empresas especializadas. As outras 150,8 mil posições são operadas pelas próprias empresas.

Marineide Marques

Subir

Telemar lança empresa de "call center" em São Paulo
16/07/2002

SÃO PAULO - A Contax, empresa do grupo Telemar que presta serviços de "call center", desembarca em São Paulo com a abertura de um escritório com sete mil metros quadrados, na capital paulista, com capacidade para 1,3 mil posições de atendimento. A filial vai receber metade, ou R$ 25 milhões, dos investimentos de R$ 50 milhões que a companhia fará este ano em todo o país.

A Contax chega a São Paulo com cinco clientes fechados: Valor Econômico, Unibanco, Comissão de Serviços Públicos de Energia (CSPE), iG e Conectel. Seu foco no estado é, principalmente, o segmento financeiro, que responde por 44% do mercado de atendimento ao cliente no Brasil.

Com um ano de atuação, hoje a Contax tem presença no Rio de Janeiro, Pernambuco, Bahia e Ceará, onde atende 18 companhias, entre as quais Light, Banco 1.net, Brasil Cap, Correios e a própria Telemar. Este ano, a companhia pretende triplicar o número de clientes com a expansão para, além de São Paulo, Brasília e Minas Gerais.

Valor Online

Subir

Contax prevê crescimento de 23% este ano com estréia em SP
16/07/2002

SÃO PAULO (Reuters) - A Contax, subsidiária da holding Telemar no segmento de "call center", projeta um crescimento de 23 por cento este ano, medido em posições de atendimento. Para tanto, a empresa passou a atuar em São Paulo, que representa 57 por cento do mercado no país, e deve estrear nas próximas semanas em Brasília.

O presidente da Contax, James Meaney, apresentou nesta terça-feira as novas instalações na capital paulista, uma área de 5 mil metros quadrados com 860 posições de atendimento para 5 clientes, incluindo Unibanco e o provedor de Internet iG. A expectativa é chegar a 1.300 posições até o final deste ano em São Paulo.

A Contax pretende chegar ao final de 2002 com 7.400 posições de atendimento em todo o país, ou 23 por cento mais que as 6.000 do ano passado. A Atento, empresa do grupo Telefônica, é líder do mercado local, com 12,5 mil posições de atendimento.

A Contax deve investir 60 milhões de reais este ano, sendo 10 milhões de reais em treinamento de pessoal. O mercado paulista vai atrair a metade dos investimentos em equipamentos e tecnologia. Em Brasília, a Contax atenderá aos Correios e a outros clientes governamentais.

Criada em 2000, a subsidiária da Telemar é lucrativa desde o primeiro trimestre de 2001. Segundo Meaney, "o custo operacional da empresa foi mínimo". Ao final de 2001, de acordo com resultado consolidado da holding, a Contax lucrou 6,175 milhões de reais.

Para este ano, Meaney não quis fazer projeções. Ele referiu-se apenas a uma estimativa de que o mercado brasileiro de "call centers", que movimenta atualmente 1,6 bilhão de reais, deve quase dobrar entre 2002 e 2005. No ano passado, a receita da Contax foi de 146 milhões de reais.

Parte substancial do desempenho da Contax vem dos serviços prestados à Telemar, que representaram entre 70 e 80 por cento da receita no ano passado. Para este ano, a estimativa é que essa dependência caia para entre 50 e 60 por cento. A Contax tem hoje 18 clientes.

Para a holding Telemar, que controla a operadora de telefonia fixa de mesmo nome, a presença da Contax em São Paulo pode ser um trampolim para conquistar clientes corporativos também no serviço de voz. A Telemar ainda não divulgou quando pretende entrar na telefonia local fora dos 16 Estados de sua área de concessão.

Além disso, a Contax é um gerador de tráfego de dados para a rede da Pégasus Telecom, empresa em que a holding Telemar detém 24,4 por cento. De acordo com o diretor de Tecnologia da Contax, Nelson Ricciardi, 90 por cento do volume de dados da Contax em São Paulo trafega pela rede da Pégasus e o restante pela AT&T Latin America. A Telemar contratou recentemente dois bancos para avaliar a compra da Pégasus.

Por Renata de Freitas

Subir